Análise Dialética do Marxismo, de Mário Ferreira dos Santos.

Analise Dialatica do Marxismo, de Mário Ferreira dos Santos
Análise Dialética do Marxismo, de Mário Ferreira dos Santos

Por | FELIPE PIMENTA

Mário Ferreira dos Santos é o nosso maior filósofo, e sempre exibiu uma coragem admirável em defender a filosofia escolástica em uma época em que o socialismo e o comunismo estavam no seu auge.

Nesse livro, Mário Ferreira faz uma análise filosófica crítica sobre o socialismo autoritário de Marx. O filósofo brasileiro não era totalmente contrário ao socialismo, mas sim, defensor de um socialismo anarquista, que ele tenta definir durante o livro.

Para Mário Ferreira, o socialismo autoritário de Marx era tudo o que o socialismo do tipo anárquico pregava em sentido contrário. Seu materialismo histórico era frágil, sua tradição revolucionária não era nova, mas vinha de movimentos heréticos da Idade Média e a luta de classes não era uma coisa demonstrável de maneira empírica.

Mário Ferreira gostava do movimento anarquista, e para ele, o socialismo real da Rússia soviética era a antítese do que ele imaginava como o verdadeiro socialismo. Para ele, o fato da União Soviética ter adotado uma filosofia oficial só poderia levar à opressão e à falta de liberdade.

O socialismo soviético substituiu de maneira ridícula a família, tradição e propriedade pela família( sim, porque no regime soviético a família e os bons costumes eram defendidos de maneira mais feroz do que nos EUA), tradição (a doutrina de Marx e Lênin e de toda uma história revolucionária) e pela propriedade (a propriedade do Estado, defendida até a morte contra supostos sabotadores). Da mesma forma que a nobreza( Stalin e sua família), o clero (o comissariado) e os camponeses continuaram a existir.

Fico feliz pela defesa que o maior filósofo brasileiro faz da filosofia escolástica e de nomes como São Boaventura, São Tomás e Duns Scot. Foi essa filosofia que defendeu verdadeiramente a dignidade do homem e não pretendeu ser revolucionária, desprezando assim a filosofia do passado.

O livro demonstra a impossibilidade do marxismo e do comunismo como filosofias de Estado. Os resultados da União Soviética como a extrema paranoia contra o mundo exterior e a ineficiência da indústria soviética comparada aos países capitalistas são as demonstrações de que a mentalidade socialista autoritária e a indústria soviética não servem para estabelecer uma sociedade verdadeiramente socialista, segundo Mário Ferreira.

Apesar de não concordar com a ideia de um Estado socialista-anarquista como o filósofo propõe, devemos admirar em Mário Ferreira dos Santos a honestidade intelectual e sua filosofia que tem como uma das bases a escolástica medieval.

Análise Dialética do Marxismo, de Mário Ferreira dos Santos

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s